Dragon Ball Super: Super Hero – Crítica

Dragon Ball Super: Super Hero – Crítica
Dragon Ball Super: Super Hero (Crunchyroll/Divulgação)

Doçura do novo filme de Dragon Ball pode colocar um fim no sentimento amargurado pelo anime 3D

O filme Dragon Ball Super: Super Hero chega ao Brasil neste mês de agosto causando novos sentimentos para os fãs da franquia. Com uma trama simples e recheada de humor, o longa surpreende ao dar mais destaque para Piccolo e dispensar as aparições heroicas de Goku e Vegeta. Ainda assim, o grande destaque fica para o investimento no CGI, que entrega um 3D que funciona e tem grandes chances de afastar o preconceito do público otaku.

No novo filme, o exército Red Ribbon, que havia sido destruído por Goku, é revivido por certos indivíduos que decidiram levar adiante sua missão e criaram os androides supremos: Gamma 1 e Gamma 2. Estes dois androides – que se intitulam “super-heróis” – decidem atacar Piccolo e Gohan. Sem conseguir ajuda de Goku e Vegeta, os heróis da terra precisam lidar sozinhos com a nova ameaça.

Um flashback da luta do pequeno Goku contra os vilões criados pelo maléfico Dr. Gero mostra uma animação bem diferente da entregue nas cenas do filme. Provavelmente uma forma da direção do longa e da Toei Animation demarcar a mudança do tipo de animação da franquia a partir de agora. Assim como a empresa já vinha fazendo com One Piece e os episódios de Dragon Ball Super, os filmes agora devem entregar mais efeitos em CGI.

Independentemente do estilo de animação adotado, o filme diverte com piadas certeiras, além de trazer muita nostalgia para os fãs da franquia. Várias referências do anime clássico podem ser encontradas no longa, incluindo citações diretas a momentos clássicos da obra.

Sem medo de ser bobo, Dragon Ball Super: Super Hero é uma das melhores produções cinematográficas de Akira Toriyama e merece ser visto nos cinemas. O longa distribuído no Brasil pela Crunchyroll e Sony Pictures já está disponível em salas de todo o país.

Nota três estrelas

Nota: ★★★

Pedro Henrique Ribeiro

Pedro Henrique Ribeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.